5 erros mais comuns na gestão de projetos e como evitá-los

5 erros mais comuns na gestão de projetos e como evitá-los

Compartilhe:

Gerenciar bem os projetos da empresa causa uma série de benefícios, como a economia financeira e a adequação aos prazos. Porém, muitos gestores ainda não dão tanta atenção ao assunto e acabam por acumular erros na gestão de projetos.

Todo projeto tem um ciclo de vida com 5 principais etapas: iniciação, planejamento, controle, execução e encerramento, sendo que cada uma demanda estratégias distintas e erros que devem ser evitados. Assim, será possível ter sucesso no trabalho.

Reunimos uma série de informações acerca do assunto e 5 erros na gestão de projetos mais comuns. Portanto, continue a leitura e fique por dentro do assunto. Vamos lá!?

1. Não avaliar a viabilidade do projeto

A primeira etapa de qualquer projeto é a iniciação, em que se avalia a viabilidade do que está sendo feito. Nessa etapa, é realizada a análise qualitativa dos riscos em que se calcula a probabilidade de sua ocorrência, bem como os impacto que acarreta.

Dessa maneira, é possível avaliar com maior clareza se o projeto é ou não viável. Projetos que apresentam muitos riscos — como financeiros, ambientais e de acidentes — por vezes são considerados inviáveis e comumente devem ser repensados.

2. Falta de gestão de pessoas

Gerenciar projetos não diz respeito somente a prazos, normas e padrões de qualidade, como muitos gestores podem acreditar, é especialmente sobre pessoas. É preciso encontrar bons profissionais, criar um time funcional e que saiba o que fazer.

A falta de gestão de pessoas pode ser um grande problema. Se o líder do projeto não se preocupa em se comunicar bem com seus subordinados, criar avaliações de desempenho e gerar bons feedbacks, os talentos dificilmente darão o melhor de si.

3. Não estabelecer prioridades e gerenciar o tempo

A falta de priorização das tarefas e da gestão de tempo acarreta perca de produtividade, pois os envolvidos com o projeto ficam mais acomodados. Logo, não basta confiar no “instinto” dos profissionais para o que deve ou não ser feito, é necessário ter boas ferramentas para gestão do tempo e das prioridades diárias.

Nesse sentido, uma plataforma de organização ganha destaque. Ela ajuda a definir as principais tarefas, priorizá-las, centralizar a comunicação e manter o foco no projeto.

4. Não considerar imprevistos no orçamento

Outro erro é deixar de considerar imprevistos no orçamento. Muitos gestores começam seus projetos com orçamentos realmente “apertados”, então deixam pouca margem para erros, acidentes e imprevistos — itens que surgem com frequência.

É indicado que se tenha um orçamento flexível, além do previsto inicialmente. Dessa maneira, caso aconteça algo que não estava planejado, será possível continuar com o projeto e até mesmo concluí-lo. Assim, toda a equipe pode ser beneficiada.

5. Deixar de estabelecer um senso de urgência

Muitos projetos carecem do senso de urgência, as tarefas são feitas com prazos longos demais e com pouca (ou nenhuma) gestão de tempo. Isso é um erro! Para mudar, estabeleça prazos mais curtos, cobre da equipe e mostre que as tarefas podem ser feitas em apenas alguns dias ou, se for algo realmente difícil, semanas de trabalho duro.

Agora é hora de eliminar esses erros na gestão de projetos. Busque uma plataforma de organização de tarefas que ajude a gerenciá-las, se comunicar bem com o time de trabalho e gerenciar os principais resultados. Assim, as chances de sucesso serão multiplicadas.

Aproveite, agora, para compartilhar nosso conteúdo em suas redes sociais e deixar seus amigos por dentro do tema. Vamos lá!

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *